últimas
NOTÍCIAS
Bolsonaro disse para Lula: O seu governo foi o mais corrupto da História
Aliados festejam desempenho de Bolsonaro no JN
Alexandre de Moraes marca encontro com ministro da Defesa
Petrobras anuncia terceira redução da gasolina em um mês
Rosa Weber envia à PGR pedido contra Alexandre de Moraes por prevaricação e ativismo judicial
Saúde

Metrô de SP diminui trens e aumenta espera em plena pandemia

 Publicado dia .13/04/2021

O Metrô de São Paulo registrou um tombo histórico em suas receitas no ano de 2020, terminando o ano com um prejuízo inédito de R$ 1,7 bilhão. O resultado é decorrente da queda do número de passageiros no sistema por causa da pandemia do coronavírus. Na crise, a empresa retirou trens de circulação e aumentou o tempo de espera nas plataformas no momento em que os passageiros precisaram estar mais distantes uns dos outros.

A retirada de trens ocorreu tanto nos intervalos entre os horários de rush quanto nas horas de pico. Os dados são do Relatório Integrado Anual Metrô, que a empresa tem de publicar em seu Portal da Transparência. A Estação da Luz, no centro de São Paulo, registrou intensas aglomerações, sobretudo, no desembarque dos trens da CPTM.

As superlotações no transporte coletivo são frequentes até mesmo durante a fase emergencial do Plano SP, com maiores restrições às atividades econômicas.

Nas últimas semanas, entre Metrô, CPTM e ônibus, aproximadamente 4 milhões de pessoas utilizam transporte coletivo por dia. O Plano SP recomenda o escalonamento de entrada e saída de funcionários em atividades essenciais para evitar a concentração nos horários de pico

Atualmente, o Metrô e a CPTM operam com a mesma frota anterior ao início da pandemia. No entanto, segundo passageiros, a manutenção das frotas não é o bastante para evitar as superlotações

O relatório, entretanto, mostra que a diminuição do uso da frota foi generalizada. No pico, a Linha 2-Verde, que opera na Avenida Paulista, rodou com oito trens a menos do que o comum (redução de 27 para 19 trens em circulação). Na Linha 3-Vermelha, a mais lotada da cidade, o governo retirou apenas três composições da linha nos picos, mas cortou o serviço de oito trens no intervalo entre os horários de rush.

Ao todo, nas Linhas 1-Azul e 3-Vermelha, houve uma redução de cerca de 17% no total de partidas diárias de trens (de cerca de mil por dia para cerca de 850) na comparação entre 2020 e 2019. Na Linha 2-Verde, a diminuição foi de 29% (de 833 para 627, em média).


Compartilhe:


Qual sua Reação:

-- Publicidade --


infolango recargas

-- Fim da Publicidade --

Topo

  PREVISÃO DO TEMPO


  PREVISÃO COMPLETA  
    Parler   Facebook   Pinterest   Twitter   Youtube   WhatsApp
   Logo-MW
  VISUALIZAÇÕES
128931