últimas
NOTÍCIAS
Bolsonaro disse para Lula: O seu governo foi o mais corrupto da História
Aliados festejam desempenho de Bolsonaro no JN
Alexandre de Moraes marca encontro com ministro da Defesa
Petrobras anuncia terceira redução da gasolina em um mês
Rosa Weber envia à PGR pedido contra Alexandre de Moraes por prevaricação e ativismo judicial
Policial

Operação prende advogado que ameaçava juíza Ludmila Lins Grilo

 Publicado dia .21/02/2021

Foi deflagrada neste sábado (20) a operação DeLorean Stalker, pela Polícia Civil de Unaí-MG, que tinha como objetivo a busca, apreensão e prisão do advogado Adriano Leme Ike.

Segundo informações, Adriano vinha há meses ameaçando e tentando extorquir a juíza Ludmila Lins Grilo, da Vara Criminal e da Infância e da Juventude de Unaí, Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

O advogado é investigado pelo crime de extorsão.

A operação foi desencadeada pela polícia civil de Unaí, liderada pela Delegada de Polícia Dra. Gabriela Mol, e contou com a colaboração da polícia civil do Paraná, uma vez que o criminoso, Adriano Leme Ike, residia em Paranaguá.

A operação foi batizada de “DeLorean Stalker” fazendo referência ao carro DeLorean do filme “De Volta para o Futuro” e “Stalker” é o termo em inglês que designa a prática de perseguição obsessiva.

Conforme as informações obtidas pelo Terça Livre, o nome da operação foi designado, pois, as ameaças a juíza eram feitas através de mensagens onde Adriano dizia a conhecer de outras vidas, mesmo sem Ludmila o conhecer.

O advogado ainda tentou extorquir inicialmente em R$ 500 mil, passando depois a R$ 1 milhão. As alegações para o crime era de que a juíza, em outras vidas, teria sido “perversa” com Adriano e teria então que o reparar, com o valor, por danos morais.

Ludmila Lins Grillo, no entanto, afirmou nunca ter tido contato com o autor da perseguição.

“Por meses, recebi ameaças de morte, muitas sob a forma de versículos bíblicos, chegando a dizer que eu teria uma morte dolorosa como a de Jezebel, com pedaços jogados aos cães”, denunciou a juíza.

A denúncia aponta ainda que em dezembro de 2019, o advogado conseguiu o endereço, dados pessoais e o telefone de Ludmila, o que fez com que a perseguição ganhasse um tom ainda mais ameaçador.

“O advogado fazia concursos públicos, e fantasiava que eu o conhecia e tinha inveja dele, além de fantasiar situações de perversidade e promiscuidade me envolvendo, e dizia que o dinheiro que me cobrava seria para que eu reparasse em vida as perversidades que eu havia feito com ele em outras vidas. As mensagens eram muito frequentes, às vezes longuíssimas, e muitas vezes várias em um único dia, sempre em tom apocalíptico.”

Em dezembro de 2020 foi aprovado no Brasil um projeto de lei que criminaliza a prática de perseguição obsessiva ou stalking.

A pena pelo crime pode ir de um a quatro anos de reclusão e multa, podendo ainda ser aumentado se o ato for cometido contra mulheres, crianças, adolescentes ou idosos ou ainda se o criminoso agir em grupo ou fazer o uso de armas.


Compartilhe:


Qual sua Reação:

-- Publicidade --


infolango recargas

-- Fim da Publicidade --

Topo

  PREVISÃO DO TEMPO


  PREVISÃO COMPLETA  
    Parler   Facebook   Pinterest   Twitter   Youtube   WhatsApp
   Logo-MW
  VISUALIZAÇÕES
128933