últimas
NOTÍCIAS
Bolsonaro disse para Lula: O seu governo foi o mais corrupto da História
Aliados festejam desempenho de Bolsonaro no JN
Alexandre de Moraes marca encontro com ministro da Defesa
Petrobras anuncia terceira redução da gasolina em um mês
Rosa Weber envia à PGR pedido contra Alexandre de Moraes por prevaricação e ativismo judicial
Opinião

Invasão do Capitólio por Infiltrados foi calculada para impedir Contestação de Votos Eleitorais

 Publicado dia .07/01/2021

A invasão do Capitólio na tarde desta quarta-feira (06/01) promovida por um grupo de Antifas e demais delinquentes e criminosos do Black Lives Matter que infiltraram-se na manifestação dos patriotas apoiadores de Donald Trump foi um ato planejado e calculado com um objetivo bem definido: criar o ambiente propício para impedir que a contestação dos votos fraudados prosseguisse durante a sessão conjunta do Congresso dos Estados Unidos.

A estratégia adotada pelo establishment democrata e implementada por Antifas e Black Lives Matter, com o respaldo da velha imprensa e das big techs, foi bem-sucedida e alcançou seu objetivo. Havia uma forte disposição inicial da parte de mais de uma centena de parlamentares de levantar objeções em relação a pelo menos sete Estados, o que ao menos em tese poderia anular os efeitos das fraudes e resultar na recondução de Donald Trump para mais um mandato.

Esta disposição foi quebrada e anulada após o ato de invasão do Congresso planejado pela esquerda. Invasão esta que ganhou a adesão de muitos manifestantes pró-Trump que, por ingenuidade e falta de liderança da parte dos republicanos, não perceberam que estavam servindo de instrumento para este ardil. Logo após a invasão, a narrativa da velha mídia já estava pronta: “Apoiadores e Trump invadem Congresso”, e gerou reações até mesmo no exterior.

Quando os trabalhos foram retomados, o ânimo dos congressistas era completamente outro e movido basicamente por um sentimento de autodefesa corporativo, como ficou evidenciado nas falas de muitos deles, alegando que não iriam “se intimidar”, o que nesse caso significa não atender a demanda dos manifestantes para rejeitar os votos dos Estados onde houve fraude.

Desta forma a fatura estava liquidada: exceto por uma minoria de valentes republicanos, a maioria optou por rejeitar as objeções levantadas contra o Estado do Arizona. O mesmo ocorreu, no Senado, em relação à objeção levantada aos votos da Pensilvânia.

A sessão prossegue na madrugada desta quinta-feira (07/01) e caminha na direção de legitimar a fraude eleitoral generalizada e conduzir Joe Biden, um comunista pedófilo e corrupto ligado aos interesses do Partido Comunista Chinês, à Presidência dos Estados Unidos.

Texto de Paulo Eneas do Critica Nacional


Compartilhe:


Qual sua Reação:

-- Publicidade --


infolango recargas

-- Fim da Publicidade --

Topo

  PREVISÃO DO TEMPO


  PREVISÃO COMPLETA  
    Parler   Facebook   Pinterest   Twitter   Youtube   WhatsApp
   Logo-MW
  VISUALIZAÇÕES
128933